terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

LOST 6x17 - The End (spoilers - como se ninguém tivesse visto ainda)


"Eu nunca entendi os treekies,
até que eu virei um Lostie"


Lost. Diretamente das mentes geniais de J.J Abrams, Damon Lindelof e Jeffrey Lieber, a história de 48 sobreviventes da queda do voo 815 da Oceanic Airlines, que ia de Sydney para Los Angeles. De um lado, os acontecimentos em uma ilha misteriosa. De outro, flashbacks, flashforward e flash-side-ways. A série mais mais de todos os tempos (mais comentada, mais baixada, mais controvessa, mais elogiada, mais criticada, mais amada, mais odiada, mais complexa, eetc.) se tornou cult e já faz parte da história da TV. 

No último Natal, eu ganhei do meu irmão o box completo de "Lost". Eu me tornei fã antes dele, desde que a Globo passou aquele Piloto de duas horas, no meio de uma madrugada de calor intenso, que termina com Sayid (meu personagem preferido) dizendo que a mensagem da francesa está tocando há dezesseis anos. Eu quase não domi naquela noite. E assim passou a primeira temporada, a segunda, a terceira, a quarta. Temporadas muito mal assistidas, porque ficar acordada até as duas horas da madrugada todo dia não é mole.

E eis que meu irmão arruma uma TV a cabo e começa a assistir pela AXN. Tudo ano passado, quando ela reprisou todas as temporadas antes do começo da sexta e derradeira. E ele também se amarrou. Quis porque quis comentar o final comigo, mas eu não tinha visto e me recusava a saber de alguma coisa antes de poder ver o final. E, para isso, eu tinha que rever tudo ou não ia entender nada. E foi assim que o box chegou às minhas mãos, no dia 24 de dezembro de 2010. E 39 dias depois (isso deve ser um recorde), eu estava sentada no sofá, chorando, assistindo ao "The End", o episódio de série mais aguardado e comentado de todos os tempos. 

Eu gostei muito do final de Lost, muito mesmo. Mas acho que é porque eu não tinha quase nenhuma expectativa sobre as possíveis explicações. Por exemplo, nunca achei que eles fosse dizer onde a ilha estava localizada ou qual era o siginificado dos números ou como eles viajavam no tempo sem um De Lorean. Era uma série de ficção científica e, po, essa é a graça da parada toda. Agora, o que eu tinha mais medo era de um final tipo "todo mundo morre" ou "todo mundo está morto".

Ao longo da sexta temporada, eu criei uma teoria que achei que se encaixava super bem e que seria o final de Lost. O homem-fumaça-preta se apossou do corpo de John Locke para tentar sair da ilha e destrui-la e Jacob precisa dos sobreviventes para impedir que isso aconteça. Porém, no primeiro episódio da sexta temporada, quando os flash side-ways começam, a ilha é mostrada no fundo do mar. Na minha cabeça, eles iam conseguir matar o homem-fumaça-preta, devolver a luz à caverna, mas mesmo assim a ilha ia afundar e aquela realidade alternativa ia se tornar a realidade "real" (?): o avião nunca teria caído. Mas mesmo assim, o avião teria caído, porque a ilha só afundaria e seria salva porque os sobreviventes estariam lá para fazer isso acontecer. Entendeu?  Não? Neu eu...

Mas, enfim, nunca tinha pensado no side-ways como um tipo de purgatório. Para mim, era mais como uma segunda chance para os sobreviventes mudarem de vida. Mesmo que isso não fizesse sentido, visto que coisas do side-ways nunca tinham acontecido com os sobreviventes de verdade. Por exemplo, Jack tem um filho com a Juliet. Mas, em parte eu acho que estava certa. O side-ways sendo um tipo de purgatório leva-nos a entender que eles tinham que ter uma segunda chance para entender a si mesmos, aos outros e se perdoarem pelos seus erros. Uma das coisas mais bonitas para mim é a história de Benjamin Linus. Ele nunca se conformou de ter praticamente matado a filha. No side-ways, ele consegue se redimir ajudando Alex a entrar na faculdade e sendo uma pessoa melhor.

Confesso que quase tive um ataque cardíaco quando Christian Shephard disse que todos estavam mortos. Pensei "puta merda, Caverna do Dragão, nãããão" Po, todo mundo morreu, é isso? Eu assisti duzentos episódios para isso? Foi um acesso de pânico e um medo de me decepcionar. Mas, bem mais calma, depois de um banho gelado e muitos papos comigo mesma, entendi o final. O próprio Christian diz que eles morreram em tempos diferentes e que aquilo não está em um lugar certo no tempo e espaço. Alguns morreram antes, outros morreram depois. E eu pude respirar alividada e pude voltar a amar Lost.
.
Agora, o que eu mais gostei foi do Jack ter morrido! Durante a primeira temporada ele era o grande herói, com todas as boas qualidades do mundo, mas sem ser um chato de galocha. Depois... Ai meu Deus... Ele se tornou tão certinho, previsível e insuportavelmente parecido com a criatura mais chata do mundo nerd: Ciclope. Eu odeio o Ciclope porque ele é todo politicamente correto, não quer fazer nada de errado e acha que matar uma mosca é um grande pecado. Eu gosto dos Wolverines da vida, fortes, sensuais e tão errados que são muito mais divertidos. E lá estava Jack, brigando com o Locke o tempo todo por causa de tudo, não deixando torturarem o Henry Gale (vulgo Ben Linus), "ai, e se ele for inocente, nós estaremos batendo em um inocente!". Chato.

E o personagem, para minha alegria, evoluiu. Perdeu o medo de errar, tanto que causou a morte da Juliet no fim da quinta temporada. E isso mudou totalmente seu modo de encarar a vida e a ilha. Os criadores sempre disseram que Lost terminaria onde começou. E isso me faz ter um fio de esperança de que eles não saíram inventando um monte de coisas no meio do caminho (teoria do meu namorado, que diz que eles não tinham nenhuma noção do que estavam fazendo). Eu não e nem quero saber quando eles decidiram no que a história iria se tornar. Só sei que o fato de Lost terminar como começou vai além do olho aberto/fechado de Jack Shephard. Ele começou como herói, se perdeu no meio do caminho e se reencontrou no final, ao morrer pelos amigos e pela ilha.  

E a morte o Jack evitou outra coisa que eu teria odiado: Jack e Kate casados, com Aaron e feliz para sempre. Fim. Argh. Eu sou romântica, adoro finais felizes, mas acho que isso simplesmente não combinaria com Lost. E o final foi lindo sempre precisar de beijos debaixo de chuva.

A cena da igreja, em que todos os personagens se perdoam, é realmente muito linda. Saindo um pouco da ficção científica, Lost é uma grande reflexão sobre vida e morte, e sobre a maldade e a bondade dentro de cada um de nós. Foi isso que a série mostrou durante seis anos: que ninguém é uma coisa só. Kate matou vários homens e era uma grande heroína, corajosa, capaz de ser a primeira a sair correndo para salvar alguém. Sayid (oh, Sayid) era torturador no Iraque, mas tinha um coração enorme e uma gigantesca capacidade de amar. Não dá para classificar alguém como mau, só mau, o mau em pessoa. Ben mostra seu outro lado ao pensar na Alex. E o homem-de-preto que era, para mim, amargurado demais para ser considerado mau. Foi dominado pelo desejo desesperado de sair da ilha. 

Enfim, dificilmente existirá outra série que se compare à Lost. O enredo complexo, o roteiro sensacional, as falas genais (nosso nerd querido Hurley que o diga) e as interpretações esplendorosas que o digam. Vai ser realmente uma proesa se outra série conseguir alcançar tanta repercussão e gerar tantos comentários e controvérsias. Lost entra para a lista das coisas que você tem que ver antes de morrer. Ou irá embora sem entender nada da vida. Ou da morte.

See you in another life, brotha.

2 comentários:

  1. ainda nao vi o final, porem, depois de tanta maluquice deve ser bom mesmo, mas acho q perderam um pouco a mao no seriado, começa uma coisa e termina outra completament nada a ver, parece o "é tudo improviso", mas, antes ter final do q se enrolassem por mais 3 ou 4 temporadas e nao ter final nenhum, tem varias coisas legais na serie, porem, tem uma encheção de linguiça enorme.

    ResponderExcluir
  2. eu tb num vi o final e reconheço que nao estou mt empolgada para feze lo, no começo como era novidade fikei em "extase" como mts, mas com o passar do tempo, pra mim foi perdendo a graça, confesso que mt c deve ao fato da kate e o jack num ficarem juntos, eu sei q num tem nada a ver, q a historia é mt alem disso, mas eu sou uma romantica convicta e contou mt pra mim!!rsrsrs infelizmente é isso, espero um dia ter paciencia pra ver o final e vc ne marcelle me emprestar!!rs
    bjs

    ResponderExcluir