quinta-feira, 23 de julho de 2009

Pulp fiction - A prova de que eu sou esquisita.


Antes de qualquer coisa, peço que ninguém que leia este texto tente me matar. Calma, você saberá extamente o porquê! Mas antes, prometa, por favor! Promete?? Siiiiiiiim? Ah, agora posso continuar o texto mais tranquila. Sabe o que é, huuum, bem, é que eu sempre durmia quando via 'Pulp fiction', esse filme de 1994 do badalado diretor Quentin Tarantino. Pois é, pode falar 'como alguém consegue dormir vendo Pulp fiction?!?!'. Nem eu sei responder! Entretanto, tenho que esclarecer que não acho o filme chato, em hipótese alguma! Mas confesso que não tenho ideia do porquê que isso sempre acontecia.

Bom, vamos ao que interessa, que é a minha opinião sobre o filme. Afinal, vocês estão aqui justamente para ler isso! O filme tem um roteiro original e muito bem escrito, que mescla uns diálogos super divertidos com cenas de violência. Aliás, esses diálogos que são o ponto alto do filme. Inacreditável ver dois assassinos profissionais (John Travolta e Samuel L. Jackson) preparados para estourar os miolos de alguém, conversando sobre massagem nos pés! Ou então sobre hambúrgueres do McDonald's! Ou ver Jackson citar a Bíblia - isso mesmo! - segundos antes de arrebentar a cabeça de um cara. Além de Travolta e Jackson, o filme conta também com Bruce Willis, que está ótimo no papel de um boxeador em fim de carreira, que desencadeia a raiva do chefão Marsellus Wallace.

Quentin Tarantino é realmente um cara genial e digo isso por ele ter escrito um filme tão original e tão inteligente. Eu fico imaginando como ele deve ter se divertido escrevendo aquelas falas cheias de ironia e humor negro. Os outros filmes dele não devem ser muito diferentes, como meu namorado - e especialista em Tarantino! - sempre gosta de frisar e pretendo vê-los futuramente (sem dormir, claro!). Mas por enquanto, ficarei somente com aquelas imagens na cabeça: do twist, do milk shake de cinco dólares, da overdose, do carro ensanguentado, do relógio de ouro e do assalto à lanchonete. Cenas marcantes não só para mim, mas também para toda a história do cinema, porque Tarantino, com esse jeito único, cravou seu nome na história.

Futuramente, vai estrear seu novo filme 'Bastardos inglórios', com o bonitão Brad Pitt. Pelo trailer, já deu para ver como a marca Tarantino se mantém presente: humor negro e diálogos rápidos. E você duvida que eu estarei lá para ver? Claro que não! Meu namorado vai ser o primeiro a comprar o ingresso e agora, depois de ver 'Pulp fiction', estarei lá também. E com o maior prazer!

4 comentários:

  1. pois é, graças a Deus vc conseguiu ver este filme, este filme nao, esta obra de arte, esta obra classica, melhor filme de todos os tempos, todas as conversas, toda a falta de cronologia, tudo nesse filme é perfeito, nao tem nada q se possa dizer "po, ficaria melhor assim" pq nao ficaria.

    ResponderExcluir
  2. Olá, muito obrigado pela visita lá no blog. =) E eu também adoro Móveis Coloniais de Acaju e o título do meu blog foi totalmente inspirado na música. hehe

    Quando a Pulp Fiction, eu realmente não entendo o motivo de você dormir. xD O Taranta é meu diretor vivo preferido, de longe. Acho que o cara só fez obra-prima [Jackie Brown nem tanto] e Pulp Fiction sem dúvida é uma dessas. Tenho um poster na parede do meu quarto hehe.
    Que venha Bastardos Inglórios! \o/

    []s!

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca vi esse filme também, e não conheço um só ser humano (exagero, ok) que não tenha falado dele. Irei ver.
    Eu não gostava muito do Tarantino até ver Kill Bill 2.

    PS.: Dormir vendo o filme é pior que nunca ter visto?

    Legal o blog. Bye!

    ResponderExcluir
  4. Resposta ao seu comment (Não achei outro lugar pra fazê-lo):
    O outro é para objetivos profissionais. Manterei os dois.
    Beijos!

    ResponderExcluir